Artistas realizam protesto em SP contra congelamento na Cultura, feito pela gestão Doria

1

Em fevereiro, o governo de João Doria congelou 43,5% do orçamento da cultura por erro ainda não resolvido, paralisando programas de fomento e de iniciação na Cultura.

Por Rafael Bruza

Protestos de artistas contra o congelamento da Cultura, feito no centro de São Paulo / Foto – Reprodução (Mídia Ninja)

Fantasias, música e cânticos contra João Doria marcaram o protesto de artistas contra o congelamento de 43,5% do orçamento da Secretaria da Cultura, feito nesta segunda-feira (27), no Theatro Municipal de São Paulo, próximo da Prefeitura da cidade, controlada pela gestão de João Doria, responsável pelo congelamento.

“Cultura é riqueza, mas não é privatizável. Cultura não é mercadoria”, cantam os manifestantes artistas fantasiados e protegidos da garoa com guarda-chuvas. “Se gritar, descongele já o orçamento”, conclui o cântico em coro dos artistas, acompanhado de música.

O protesto reuniu centenas de manifestantes, mas não divulgaram o número de presentes. O ato foi convocado pela Frente Única da Cultura de São Paulo, criada em oposição ao congelamento da Cultura em SP.

A manifestação começou às 15h no Theatro Municipal de Sâo Paulo, na Praça Ramos de Azevedo, zona central de SP, que foi cercada por policiais.

Por volta das 18h, o ato chegou à sede da Secretaria Municipal da Cultura, localizada no Largo do Paiçandu e depois caminhou até a Prefeitura de São Paulo com performances artísticas, música e interpretação de cenas teatrais.

Erro da Câmara

O congelamento faz parte de uma política da Prefeitura de São Paulo, que contingenciou 25% de todas as verbas chamadas de atividades de custeio e 100% das verbas para bancar projetos.

Em fevereiro, o secretário da Cultura, André Sturm, afirmou que o congelamento de programas da Secretaria Municipal da Cultura ocorreu por um erro da Câmara Municipal da Cidade, que classificou “programas” culturais como “projetos” na hora de votar o Orçamento, gerando o congelamento por engano de 100% dessas verbas.

Com isto, programas de fomento à dança, circo, teatro, entre outros, foram cancelados por engano, como se fossem projetos.

“A gente descobriu que havia inúmeras atividades equivocadamente marcadas como projetos”, declarou o secretário ao jornal Folha de S. Paulo.

Na época, o secretário disse que o congelamento era temporário e que a situação estava sendo resolvida, e que nenhum programa de fomento seria zerado.

Mas no início de março, o congelamento do orçamento da Cultura continua existindo, a despeito de um protesto realizado no final de fevereiro.

O protesto

O protesto de artistas exige o descongelamento total da verba da cultura e a execução do orçamento total da pasta, de R$ 518 milhões, conforme foi definido em votação na Câmara Municipal de São Paulo em 2016.

Os artistas alegam que o congelamento só permite que a Secretaria Municipal da Cultura mantenha espaços como cinemas, teatros e bibliotecas, além do pagamento de funcionários terceirizados (segurança, limpeza, etc, firmados no fim do ano passado) e servidores.

“A verba disponível para os programas e programação cultural torna-se insuficiente”, afirma a Frente Única da Cultura de São Paulo.

Vários programas culturais da cidade foram temporariamente suspensos, como os Fomentos à Dança, ao Teatro, das Periferias, ao Circo; Jovem Monitor Cultural; o Programa de Valorização das Iniciativas Culturais (VAI e VAI II), o Programa de Iniciação Artística (PIÁ) e o Programa Vocacional.

“Esses programas e Leis são conquistas históricas não só dos artistas, mas da população em diálogo com o poder público e vereadores da cidade de São Paulo. O congelamento além de travar o desenvolvimento criativo da cidade também fere diversos processos de formação e inclusão e diminui a movimentação econômica em setores que dialogam diretamente com a cultura como: restaurantes, hoteis, bares, gráficas, estacionamentos, publicidade, mídia, etc”, afirma a convocatória do protesto.

Os manifestantes consideram “importante ressaltar” que o orçamento aprovado na Câmara Municipal não atinge nem 1% do orçamento global do município.

Confira a transmissão ao vivo que a Mídia Ninja fez do ato:

#aovivo Ato 'Descongela a Cultura, João Doria' reúne milhares de pessoas em SP!

Posted by Mídia Ninja on Monday, March 27, 2017

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook