Boechat chama Impeachment de ‘conspiração’ e diz que ‘não há nada para comemorar’

0

O jornalista da rádio BandNews também afirmou que a conclusão do Impeachment supõe um fim de ciclo na “vida política e econômica” do Brasil.

Informação – Rafael Bruza

Publicação feita no perfil de Facebook do jornalista Ricardo Boechat / Foto – Reprodução
Publicação feita no perfil de Facebook do jornalista Ricardo Boechat / Foto – Reprodução

Em seu comentário na Rádio BandeNews desta quarta-feira (31), o jornalista Ricardo Boechat chamou o Impeachment de Dilma Rousseff de “conspiração” e disse que “não há nada para comemorar”.

“Qualquer país que tenha que apear do poder um presidente eleito em uma eleição confusa e cheia de mentiras dos dois lados, mas democrática e direta. Qualquer país que caminhe para isso em uma ruptura democrática não pode ser um país que comemore esse tipo de situação”, afirmou o jornalista.

Boechat também disse que não considera essa quarta-feira (31) um dia “definitivamente positivo”.

“É um dia que eu preferia que não existisse, não pelo que ele é em si, mas porque é uma ruptura, um trauma na trajetória do processo democrático”, afirmou.

Mas o jornalista também indicou que é possível “respirar aliviado”, pois agora ocorre um fim de ciclo.

“É preciso respirar um pouco aliviado porque, afinal, esse dia encerra um ciclo, um período, uma novela, um drama, que se arrasta há mais de um ano congelando a vida política e a vida econômica do país”.

Bom dia! Boechat ao vivo fora da redação

Posted by Ricardo Boechat on Wednesday, August 31, 2016

O comentarista explicou por que considera que o país está parado pelo Impechment, chamado por ele de “conspiração”.

“Do ponto de vista do Impeachment, (foram) nove meses em que não tratamos de mais nada. Isso se considerarmos apenas o dia da instalação do processo, porque se considerarmos o dia do início dessa conspiração, que hoje chega vitoriosa a seu desfecho, teremos mais de um ano em que o país também ficou congelado discutindo exclusivamente a permanência ou saída de Dilma Rousseff”, argumentou Boechat.

O jornalista afirmou que Dilma será ex-presidente com a conclusão do processo de impedimento e Temer não terá “tempo, nem álibi, para justificar, com a discussão do Impeachment, nenhum ato que deixe de praticar dentro daqueles que o país espera que ele pratique”.

“É hora dessa gente mostrar a que veio. Hora de mostrar que razões motivaram essa conspiração, que razões motivaram essa luta política da qual eles podem sair e sairão vitoriosos”, afirmou Boechat.

O jornalista terminou o comentário pedindo serviço e resultados a Michel Temer.

“Tá na hora do Brasil simplesmente virar essa página com as feridas que muitos registrarão em suas trajetórias, em suas mentes, em suas almas… E olhar para frente porque nós não temos alternativa. A crise é tão monumental, que qualquer dia perdido, olhando para trás, será um dia que nos custará muito mais caro. Que Temer trate de começar a trabalhar, que seu governo comece a apresentar resultados e que nós possamos, finalmente, apesar do trauma que qualquer Impeachment representa para qualquer democracia, passarmos a cuidar do futuro do Brasil o quanto antes. Chega de blábláblá. Temer, começa a mostrar serviço”, conclui o jornalista.

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook

Comments are closed.