Centro espírita e terreiro sofrem incêndios em Curitiba, em menos de 10 dias

0

O incêndio no centro espírita foi comprovadamente criminoso; a Polícia também investiga o caso do terreiro de Umbanda, considerando possibilidade de crime.

Por Rafael Bruza * com informações da Tribuna do Paraná e Gazeta do Povo

O incêndio criminoso no centro espírita (dir.) e os destroços causados pelo fogo no terreiro de Umbanda, também em Curitiba (PR)

O terreiro de Umbanda do bairro Vila Izabel pegou fogo na madrugada desta quinta-feira (1), em Curitiba (PR).  A Polícia investiga o caso considerando a possibilidade de incêndio criminoso. Oito dias antes, também de madrugada, câmeras de segurança flagraram duas pessoas ateando fogo no centro espírita em construção no bairro Portão, na mesma cidade.

A Polícia ainda não tem indícios de que o incêndio no terreiro de Umbanda tenha começado por motivo criminoso. Membros do terreiro, no entanto, relatam ter identificado uma pessoa suspeita no local.

O delegado José Vitor da Silva Pinhão, do 9° Distrito Policial, que cuida do caso, disse que o laudo da perícia vai apontar a origem das chamas.

“Já fizemos a requisição para a criminalística comparecer no local. Uma pessoa ligada ao terreiro disse que pessoas teriam visto um indivíduo circulando com um foguete, mas disse isso de maneira informal”, comentou o delegado.

Incêndio no centro espírita

No dia 24 de julho, uma câmera de segurança flagrou duas pessoas descendo de uma moto, por volta da 1h, e se aproximando do centro espírita em construção com um galão de combustível.

Os homens – ainda não identificados – despejaram o combustível na porta do centro para iniciar o incêndio – as câmeras não flagraram este momento.

As chamas destruíram as paredes de um barracão em obras. Ninguém se feriu.

O centro funciona no local há dois meses. Moacir da Costa, que mora com a família no terreno, diz que não houve nenhuma desavença com vizinhos por conta da religião, mas acredita que a ação da dupla incendiária tenha sido motivada por intolerância.

“Só isso pode explicar o que aconteceu. Eu, minha esposa e minha filha poderíamos ter morrido. Sorte que ainda não estávamos dormindo e ouvimos o barulho do fogo. Deu tempo de apagar”, contou.

Ainda segundo Costa, os homens chegaram em uma motocicleta, conforme o registro das câmeras de segurança. “Eles passaram pela frente. Alguns minutos depois, voltaram. Um deles ficou fazendo guarda, enquanto o outro pulou pelo canto do vizinho”, explicou.

Após atear fogo no barracão, os homens fugiram, deixando para trás uma jaqueta que teria queimado sem querer, durante o ato criminoso. “Ele abandona a jaqueta antes de subir na moto. Ela provavelmente pegou fogo na hora de acender o combustível”, apontou Costa. A Polícia Militar (PM) atendeu a ocorrência e a equipe ajudou a apagar as chamas. Também houve o auxílio de uma empresa particular de segurança na contenção do fogo. A empresa fazia o patrulhamento do local e foi acionada pelos moradores. Um boletim de ocorrência (B.O.) ainda deverá ser registrado pela família.

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook

Comments are closed.