Comitê Olímpico dos Estados Unidos pede desculpas ao Brasil pelo caso dos nadadores

0

Presidente da entidade confirmou versão da Polícia do Rio de Janeiro e disse que o comportamento dos nadadores foi inaceitável.

Informação – Rafael Bruza

O presidente do Comitê Olímpico dos Estados Unidos, Scott Clacjmun, que assinou nota de desculpas ao Brasil pelo caso do falso assalto dos nadadores / Foto - Reprodução
O presidente do Comitê Olímpico dos Estados Unidos, Scott Clacjmun, que assinou nota de desculpas ao Brasil pelo caso do falso assalto dos nadadores / Foto – Reprodução

O Comitê Olímpico dos Estados Unidos (USOC, em inglês) divulgou uma nota oficial nesta quinta-feira (19) pedindo desculpas pelo comportamento dos nadadores Jimmy Feigen, Jack Conger, Gunnas Bentz e Ryan Lochte e reconhecendo que os atletas praticaram atos de vandalismo.

Os nadadores se envolveram em polêmica internacional ao relatar um assalto no Rio de Janeiro que nunca ocorreu.

A nota do Comitê Olímpico dos Estados Unidos foi assinada pelo presidente da entidade, Scott Blackmun.

Ele afirma que o comportamento dos nadadores não é aceitável e não representa as condutas e os valores norte-americanos. Também pediu desculpas aos brasileiros pelo problema e disse que o comitê verificará possíveis consequências aos atletas quando todos retornarem aos Estados Unidos.

O caso

Os atletas da delegação estadunidense foram para uma festa no domingo (14) na zona sul do Rio de Janeiro. Quando retornava à Vila Olímpica alcoolizados, pararam em um posto de gasolina em que quebraram alguns objetos e foram obrigados pelos seguranças do negócio a pagar pelos danos causados.

Mas o relato dos atletas feitos em veículos de imprensa durante a semana era diferente. Eles afirmaram que foram abordados e assaltados por bandidos que se passaram por policiais e dois deles foram impedidos de voltar aos Estados Unidos até que fizessem depoimento no Brasil. No domingo, o Comitê Olímpico dos Estados Unidos havia confirmado o assalto aos atletas por meio de nota.

Mas com a apuração do caso feita pela Polícia Civil do Rio de Janeiro, o comitê estadunidense voltou atrás e pediu desculpas pelo ocorrido.

As imagens das câmeras de segurança do posto mostram a confusão.

https://www.youtube.com/watch?v=ULvoA14Lwec&feature=youtu.be

Confira a íntegra da nota divulgada pelo Comitê Olímpico Internacional:

Dois nadadores do time olímpico americano (Gunnar Bentz e Jack Conger) deram depoimentos às autoridades locais nesta quinta-feira, referentes ao incidente primeiramente divulgado no domingo, 14 de agosto. Seus passaportes foram liberados, e eles deixaram o Rio.

Depois de fornecer um testemunho no início da semana, um terceiro nadador (James Feigen) revisou o depoimento com a esperança de que o seu passaporte também fosse liberado assim que possível.

Trabalhando em colaboração com o Consulado dos EUA no Rio, organizamos a cooperação dos atletas com as autoridades locais e garantimos a segurança dos atletas durante o processo, mas ainda não vimos os depoimentos completos de Bentz e Conger.

No entanto, entendemos que o que eles descreveram são os eventos que muitos viram nos vídeos da câmera de segurança que foram divulgados nesta quinta. E pelo que sabemos, os quatro atletas (Bentz, Conger, Feigen e Ryan Lochte) deixaram a Casa da França, no início da manhã, num táxi em direção à Vila Olímpica.

Eles pararam num posto de gasolina para usar o banheiro, onde um deles cometeu um ato de vandalismo. Uma discussão entre os nadadores e dois seguranças que puxaram suas armas, mandaram que saíssem do táxi e exigiram uma compensação financeira dos atletas. Uma vez que os seguranças receberam o dinheiro, os quatro foram liberados para ir embora.

O comportamento desses atletas não é aceitável, muito menos representa os valores do Time Americano ou a conduta da vasta maioria de seus membros. Nós iremos revisar o caso, além de possíveis consequências aos atletas, assim que todos estivermos de volta aos Estados Unidos.

Em nome do Comitê Olímpico dos Estados Unidos, pedimos desculpas aos nossos anfitriões no Rio e aos brasileiros pelo problema causado durante o que deveria ser apenas a celebração da excelência.

A três dias do fim dos Jogos Olímpicos, nosso foco principal continua sendo o apoio aos atletas que ainda estão competindo e comemorando os resultados daqueles que já encerraram a sua participação.

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook

Comments are closed.