Deputada do PSL se ‘solidariza’ com Rodrigo Janot e diz que Gilmar Mendes ‘sempre teve pouco escrúpulo’

0

A maioria dos internautas respondeu Carla Zambelli com críticas, enquanto outros defenderam a morte de Gilmar Mendes.

Por Rafael Bruza

A deputada federal, Carla Zambelli, que se descreve como uma “cristã patriota”

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) usou o Twitter nesta quinta-feira (26) para manifestar “solidariedade” ao ex-procurador Geral da República, Rodrigo Janot, que disse em entrevista à revista Veja que foi armado ao Supremo Tribunal Federal (STF), em maio de 2017, para assassinar Gilmar Mendes e se suicidar.

“Minha solidariedade ao ex-PGR (Janot). Gilmar Mendes sempre teve pouco escrúpulo”, escreveu a deputada.

Zambelli se descreve como uma pessoa “cristã e patriota”. Eleita com 76,3 mil votos pelo PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, ela foi uma das fundadoras do movimento Nas Ruas e convoca manifestações favoráveis ao Governo.

Internautas tiveram diferentes reações ao tuite.

As respostas mais curtidas criticam Carla Zambelli.

“E o poste mais uma vez mija no cachorro!!! O cara foi armado para cometer assassinato e merece solidariedade???? Que insano!!!!”, disse o internauta que teve o tuite mais curtido, entre as respostas da publicação de Zambelli.

“A criatura está sendo solidária ao ato de um sujeito que declarou um plano para assassinar uma outra pessoa. I N A C R E D I T Á V E L !!!”, disse outro.

Alguns internautas, no entanto, apoiaram a fala de Carla Zambelli e lamentaram que Rodrigo Janot não tenha matado o ministro do Supremo, Gilmar Mendes.

“A morte para Gilmar Laxante Mendes é um prêmio. Tem que sangrar até a última gota”, disse um internauta, em apoio a Zambelli,

“Eu só não concordo com a parte que ele se suicidaria. #STFVergonhaNascional”, disse outra internauta.

“Pois é Carla, todos sabemos do tamanho dos escrúpulos e ele continua altivo, arrogante e na nossa corte suprema. Somos um povo bem banana”.

A deputada não se posicionou novamente sobre o assunto.

Em outros tuítes, internautas também defenderam a morte de Gilmar Mendes.

No Twitter, internautas defendem a morte do ministro do Supremo, Gilmar Mendes, e lamentam que Rodrigo Janot não tenha…

Posted by Independente on Friday, September 27, 2019

O plano de Janot

Em entrevista à revista Veja, nesta quinta-feira (26), o ex-procurador Geral da República, Rodrigo Janot, relatou que foi armado ao Supremo Tribunal Federal (STF), em maio de 2017, para matar Gilmar Mendes e depois cometer suicídio.

O plano dele era dar um tiro na cabeça do ministro e depois se matar. A cerca de 2 metros de distância de Mendes, na sala reservada onde os ministros se reúnem antes de iniciar os julgamentos no plenário, Janot sacou uma pistola do coldre que estava escondido sob a beca e a engatilhou.

De última hora, Janot ficou paralisado e não efetuou o disparo.

O caso ocorreu em maio de 2017, mês conturbado na política nacional. Na época, Lula teve sua primeira audiência de Lula com o ex-juiz Sergio Moro e Michel Temer quase renunciou ao cargo após ser acusado de incentivar Joesley Batista a manter propinas a Eduardo Cunha.

O ex-procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, e o ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, trocaram acusações em público, ao longo daquele ano.

Depois, os atritos se passaram ao campo jurídico.

Janot pediu ao STF que impedisse Gilmar Mendes de atuar em um processo que envolvia o empresário Eike Batista, alegando que a esposa do ministro, Guiomar Mendes, trabalhava no mesmo escritório de advocacia que defendia o empresário.

Na sequência, foram publicadas notícias de que a filha de Janot era advogada de empreiteiras envolvidas na Lava-­Jato — o que, por analogia, também colocaria Janot na condição de suspeito. O procurador identificou Mendes como origem da informação — e, nesse instante, decidiu matá-lo, segundo contou em entrevista à revista Veja.

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook

Comments are closed.