Diretor da FIESP é maior devedor do Brasil entre pessoas físicas

0

Laodse de Abreu Duarte deve R$ 6,9 bilhões à União, dívida maior do que a de diversos estados do país.

Informação – Redação * com informações do Estadão

O prédio da Fiesp durante manifestação a favor do Impeachment na Avenida Paulista / Foto – Divulgação (Ayrton Vignola/Fiesp)
O prédio da Fiesp durante manifestação a favor do Impeachment na Avenida Paulista / Foto – Divulgação (Ayrton Vignola/Fiesp)

O empresário Laodse de Abreu Duarte, que é um dos diretores da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) é o maior devedor da União entre pessoas físicas. A dívida de Laodse é de R$ 6,9 bilhões e ultrapassa a de 18 estados brasileiros como a Bahia, Pernambuco, segundo o Estadão. Laorte é uma dos milhares de cidadãos que aparecem no cadastro da dívida ativa da União, que reúne débitos de difícil recuperação.

O site da Fiesp indica que Laodse é um dos atuais 86 diretores da entidade. Ele também faz parte do Conselho Superior do Agronegócio da Fiesp e preside em São Paulo o Sindicaro da Indústria de Óleos Vegetais e seus Derivados.

O levantamento do Estadão também indica que a dívida de cidadãos com o Governo Federal ultrapassa 1 trilhão de reais. A maior parte desse montante, cerca de R$ 812 bilhões, pertence a uma pequena lista de grandes devedores, que possuem dívidas maiores do que 15 milhões de reais. A soma das dívidas desses cidadãos é cinco vezes maior do que o rombo no Orçamento Federal previsto para esse ano e anunciado pelo Governo interino de Michel Temer.

Dois irmãos de Laodse aparecem no topo do ranking de pessoas físicas que devem à União ao lado do irmão. As dívidas de Luiz Lian e Luce Cleo superam individualmente os R$ 6,6 bilhões de reais, valor já superior ao rombo orçamentário de 2015 de 6,2 bilhões de reais. A maior parte da dívida dos três irmãos diz respeito a uma mesma dívida, pois todos pertencem ao grupo empresarial que foi cobrado pela Procuradoria-Geral da Fazenda.

Laodse e seus irmãos foram incluídos na lista como corresponsáveis em um processo tributário que envolveu uma de suas empresas, a Duagro, que deve 6,84 bilhões de reais ao Governo.

A dívida desse grupo é alta porque, segundo a Fazenda, a empresa supostamente realizou operações de compra e venda de títulos na Argentina e nos EUA entre 1999 e 2002, sem pagar tributos. O Ministério Público Federal denunciou a Duagro, indicando que houve “fraude à fiscalização tributária”.

E a Procuradoria suspeita que a empresa serviu de “laranja” em outro esquema de sonegação que supostamente envolve dezenas de empresas renomadas e pode ser denunciado com “um grande estudo do núcleo central do esquema”, segundo indica.

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook

Comments are closed.