Doria subirá velocidade das marginais e promete colocar publicidade nas ciclovias

1

O prefeito também disse que acabará com o programa de crack “Braços Abertos”, criado por Haddad, mas instalará o projeto “Recomeço”, feito pelo Governo Alckmin, que prevê internação obrigatória para dependentes químicos.

Informação – Por Rafael Bruza

O prefeito de São Paulo recém-eleito, João Doria Jr. / Foto - Reprodução (Agência Brasil)
O prefeito de São Paulo recém-eleito, João Doria Jr. / Foto – Reprodução (Agência Brasil)

O recém-eleito prefeiro de São Paulo, João Doria Jr. (PSDB) disse nesta segunda-feira (03) ao programa da Rede Bandeirantes, Café com Jornal, que pretende aumentar novamente a velocidade das marginais Pinheiros e Tietê. Ele acredita que a medida não aumentará o índice de acidentes. “Não sou contra a redução de velocidade, mas é preciso olhar ponto a ponto para que haja fluidez”, declarou Doria ao programa.

O tucano também disse que pretende manter as ciclovias “que funcionam” e sinalizou que as faixas “terão direito a uma publicidade discreta, sem ferir a lei Cidade Limpa”.

Além disso, Doria afirma que acabará com a chamada “indústria da multa” e que a Guarda Municipal “vai voltar a proteger o patrimônio público, as escolas e as unidades públicas de saúde”.

Durante a entrevista, Doria lamentou as “pichações” feitas no Monumento às Bandeiras, localizado na zona do Parque do Ibirapuera, e no Borbagato, em Santo Amaro, e sinalizou que em sua gestão os “pichadores” irão para a cadeia.

O novo prefeito afirma que a Prefeitura não será condescendente com o MSTS (Movimento dos Trabalhadores Sem teto) e outros grupos que “teimam em ficar ocupando”. Doria promete colocar as famílias sem teto em habitações populares e ressaltou que pretende desocupar áreas de manancial.

O tucano também indicou que irá acabar com o programa Braços Abertos, criado pela gestão de Fernando Haddad (PT), onde os dependentes recebem trabalho com remuneração de R$ 15 por dia, mais alimentação e vagas em hotéis da região. No lugar desse programa, o prefeito pretende instalar o programa “Recomeço”, feito pelo Governo de Geraldo Alckmin, onde os dependentes são obrigados a se internar para evitar o consumo de crack.

“Não dá para imaginar que com renda (o dependente) vá se afastar das drogas. Com renda consomem mais”, afirmou Doria.

O incentivo à privatizações ocorre, segundo Doria, graças ao orçamento reduzido da Prefeitura, que é “mais uma razão para ter uma gestão eficiente e desestatizar”. “Se não colocarmos novos recursos, a Prefeitura não vai conseguir atender a população. E não vou aumentar taxas ou impostos”.

Logo o prefeito prometeu não fazer práticas da “velha política”, como a nomeação política de cargos.

“Muitos dos votos também foram pelo desencanto com a política. O recado das pessoas foi que querem um gestor. Partilha política para colocar gente ineficiente, não contem com o prefeito”, afirmou Doria.

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook