Editor do The Intercept responde Sergio Moro e comenta as prisões de supostos hackers

0

Glenn Greenwald também se posicionou no Twitter, defendendo autenticidade das mensagens da Lava Jato

Por Rafael Bruza

O editor-executivo do site The Intercept Brasil, Leandro Demori, usou seu perfil de Twitter nesta quarta-feira (24) para responder um tuíte do ministro da Justiça Sergio Moro sobre as prisões de quatro supostos hackers, feitas pela Polícia Federal.

Em seu Twitter oficial, Moro parabenizou a Polícia Federal pela operação da terça-feira (23) e sugeriu que os detidos são as “fontes” das reportagens do Intercept sobre as mensagens trocadas entre ele e procuradores da Operação Lava Jato.

A informação de que os detidos são fontes do site, no entanto, não foi confirmada pela Polícia Federal.

“Parabenizo a Polícia Federal pela investigação do grupo de hackers, assim como o MPF e a Justiça Federal. Pessoas com antecedentes criminais, envolvidas em várias espécies de crimes. Elas, a fonte de confiança daqueles que divulgaram as supostas mensagens obtidas por crime”, disse Moro, no Twitter.

Leandro Demori respondeu a publicação.

“Nunca falamos sobre a fonte. Essa acusação de que esses supostos criminosos presos agora são nossa fonte fica por sua conta. Não surpreende vindo de quem não respeita o sistema acusatório e se acha acima do bem e do mal. Em um país sério, o investigado seria você”, provocou Demori.

O editor também levantou suspeitas sobre a investigação da Polícia Federal que deteve os supostos hackers, na terça-feira (23).

“A Vaza Jato mostrou que não se deve ter fé cega em investigações promovidas pelo estado, que é preciso manter o ceticismo como um muro bem alto. A julgar pela cobertura da ação da PF de Araraquara, muita gente não aprendeu nada. Ou o problema é outro”, disse Demori.

Questionado se o The Intercept vai parar de fazer reportagens sobre as mensagens da Lava Jato, Demori respondeu: “óbvio que não”.

O editor também ironizou uma publicação do jornal O Estado de São Paulo.

“Para o Estadão, os diálogos são ‘supostos’, mas os hackers não”

Falas de Greenwald

O jornalista Glenn Greenwald disse em seu perfil de Twitter, a sua vez, que Sergio Moro segue uma “tática”

“Sergio Moro – sendo Sergio Moro – está tentando cinicamente explorar essas prisões para lançar dúvidas sobre a autenticidade do material jornalístico. Mas a evidência que refuta sua tática é muito grande para que isso funcione para qualquer pessoa”, disse Greenwald. “Inúmeros jornais, revistas e outras pessoas públicas verificaram a autenticidade da material publicada por nós, Folha, Veja e tantas outras. Moro, Deltan e LJ cometerem impropriedades graves”.

O jornalista também criticou o ministro da Justiça.

“Primeiro, lembre-se que no dia em que publicamos, nem Moro nem LJ negaram a autenticidade do material. Eles apenas negaram impropriedades. Foi só mais tarde que eles inventaram essa tática, quando perceberam que seus aliados estavam abandonando-os”, diz Greenwald.

Na sequência, Greenwald propõe uma “revisão” de fatos que, segundo ele, demonstram autenticidade das mensagens da Lava jato – veja os tuítes na íntegra ou assista a reportagem acima, que traz todas as mensagens.

Detido confessa ser hacker

Um dos supostos hackers preso na Operação Spoofing, deflagrada na terça-feira (23), pela Polícia Federal, confessou que hackeou o ministro da Justiça Sergio Moro, o procurador Deltan Dallagnol (coordenador da Lava-Jato) e outras centenas de autoridades. 

Segundo a PF, Walter Delgatti Neto, chamado “Vermelho”, prestou depoimento até a noite de terça-feira e revelou ter clonado o celular de Dallagnol e invadido o celular de Moro. 

Ao decretar a prisão temporária de quatro investigados, o juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10.º Vara Federal de Brasília, apontou para a incompatibilidade entre as movimentações financeiras e a renda mensal do casal em dois períodos de dois meses – abril a junho de 2018 e março a maio de 2019 – movimentou R$ 627 mil com renda mensal de R$ 5.058. 

Ainda não á confirmação, no entanto, de que estes indivíduos sejam a fonte do The Intercept Brasil.

O editor-executivo do The Intercept Brasil, Leandro Demori, e o ministro da Justiça, Sergio Moro

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook

Comments are closed.