Em Londres, manifestantes pedem ‘Fora Temer’ e eleições diretas no Brasil

0

Ato na Inglaterra esteve vinculado com manifestações no Brasil que pediram a saída de Michel Temer da Presidência da República e realização de eleições diretas para presidente e vice.

Por Rafael Bruza

Dezenas de brasileiros sintonizados com as manifestações de rua deste domingo (21), feitas em 19 Estados da federação e Distrito Federal, foram ao Parlamento Inglês em Londres, capital da Inglaterra, fazer um ato que pediu a saída de Michel Temer da Presidência da República e realização de eleições diretas no Brasil. O protesto foi feito após divulgação das delações da JBS, que acusam o presidente da República, Michel Temer, de permitir a compra do silêncio de Eduardo Cunha e intermediar acordos entre os empresários e deputados do Congresso Nacional.

O cidadão inglês, Jonathan Graham, membro do coletivo Arts for Democracy, faz performance no ato dos brasileiros / Foto – Reprodução (Ana Rojas)

“Aqui (na Inglaterra) há dois grupos que aglutinam manifestações desde que o golpe se consolidou: o Núcleo PT Londres, com filiados e simpatizantes, e o Coletivo Democracy for Brazil UK”, explicou a brasileira e guia de turismo, Ana Rojas, que participou do ato contra Michel Temer. “Nesta manifestação especifica de domingo, dia 21, nossa bandeira em comum está sintonizada com os movimentos do Brasil e CUT (Central Única dos Trabalhadores), que chamaram o povo para ir às ruas pelas ‘Diretas Já’ e ‘Fora Temer’. O ato foi em frente ao Parlamento inglês, Londres na Parliament Square, em frente às estátuas de notáveis, como Gandhi”, conclui a guia de turismo.

Outro coletivo político presente na manifestação foi o “Arts For Democracy” (Arte para Democracia, em tradução livre), que promoveu uma performance artística por meio de artistas, como Jonathan Graham.

Segundo Ana Rojas, o protesto atraiu “pelo menos dois” cidadãos ingleses, que acompanharam o grupo de brasileiros” – veja fotos do protesto mais abaixo.

O restante dos manifestantes era de brasileiros “dos mais diversos estados do Brasil”.

Segundo Rojas, a” mídia inglesa cobriu as  delações da JBS, que atingiram o presidente Michel Temer na semana passada, abrindo a maior crise do Governo Federal até então.

“A midia aqui (na Inglaterra) deu sim alguma notoriedade, especialmente o The Guardian, um jornal mais à esquerda, que sempre menciona o Brasil”.

A guia de turismo também afirmou que no caso de eleições diretas votaria em Lula “ou quem o PT indicar”.

“Este é o consenso entre nós”, afirma Rojas.

https://www.facebook.com/luciana.duailibe.9/posts/10211549150576754

Possibilidade para eleições diretas

Uma das alternativas para realização de eleições diretas no Brasil é a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 227/2016, do deputado federal Miro Teixeira (Rede-RJ), que prevê realização de eleições diretas até junho de 2018 – 6 meses antes do fim do mandato – em caso de renúncia, morte ou Impeachment do presidente da República, Michel Temer.

A PEC se encontra atualmente na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados.

Na semana passada, após divulgação das delações da JBS feita pelo jornal O Globo, o presidente da CCJ, o deputado federal Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), afirmou que a proposta será pautada na comissão até terça-feira (23).

Em  2016, no entanto, o ministério da Casa Civil do Governo Federal travou o trâmite da PEC na comissão para não prejudicar a imagem do presidente ou abrir margem para sua substituição.

Na época, o autor da proposta, Miro Teixeira, criticou o Governo e afirmou que o poder Executivo estava travando uma proposta do Parlamento.

“O Parlamento está subordinado aos interesses do governo”, disse Teixeira em dezembro de 2016.

Para entrar em vigor, a proposta precisa ser aprovada em dois turnos no plenário da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, antes que Michel Temer saia da Presidência da República.

Caso Temer caia antes da aprovação da proposta, o artigo 81 da Constituição Federal prevê realização de eleições indiretas, onde votam apenas políticos eleitos no Congresso Nacional, para escolha de presidente e vice.

O ato em Londres

Em Londres, manifestantes pedem saída de Michel Temer da Presidência da República e realização de eleições diretas no Brasil / Foto – Reprodução (Luiz Z. Zanin)
Montagem feita no ato / Foto – Reprodução ((Luiz Z. Zanin)
Cartaz contra a Rede Globo de Televisão exposto durante a manifestação / Foto – Reproduçao (Luiz Z. Zanin)
Brasileira agita a bandeira nacional durante o ato / Foto – Reprodução (Luiz Z. Zanin)

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook

Comments are closed.