Filiado do PSDB declara voto no petista Fernando Haddad e viraliza no Facebook

1

Carlos Magno acreditava que Andrea Matarazzo seria o candidato do PSDB nas eleições municipais de SP e fez elogios à gestão do candidato do PT em São Paulo.

Análise – Rafael Bruza

O filiado do PSDB, Carlos Magno, que declarou voto na candidatura de Fernando haddad (PT) / Foto - Reprodução (Facebook)
O filiado do PSDB, Carlos Magno, que declarou voto na candidatura de Fernando haddad (PT) / Foto – Reprodução (Facebook)

Carlos Magno é filiado ao PSDB. Sua foto de perfil no Facebook faz campanha para Eduardo Tuma, que é candidato a vereador de SP pelo partido. Mas nesta sexta-feira (30), o tucano declarou que pretende votar no petista Fernando Haddad nas eleições municipais de São Paulo deste domingo (02).

A publicação no Facebook em que o tucano explica “por que votará em Haddad” alcançou 8,5 mil curtidas e 2,4 mil comentários até às 15h deste domingo.

“Hoje o PSDB vive um momento histórico, o próprio Alberto Goldman, vice-presidente do PSDB, publicou anteontem (28/09/2016) uma nota de repudio, dizendo que João Dória é a maior e pior vergonha da história do partido. Mas por que? O que há de errado? Não vou entrar completamente no mérito contra João Dória, mas vou dizer as razões que me levam crer que João Dória já começou sua candidatura de forma completamente não confiável”, afirma Magno.

Segundo o tucano, uma dessas razões ocorreu durante o “racha” no PSDB, que ocorreu durante as eleições prévias do partido, quando Doria foi acusado de comprar votos a seu favor e Matarazzo se desfiliou do PSDB para virar candidato a vice-prefeito na chapa de Marta Suplicy.

“Antes mesmo das eleições municipais à prefeitura de São Paulo, houve, como de costume, os debates prévios do PSDB, que busca colocar alguns candidatos para concorrer entre si dentro do próprio partido, (…) o pré-candidato mais votado, terá a oportunidade para concorrer à prefeitura de São Paulo com os demais candidatos dos outros partidos. Até aí todos nós temos esse conhecimento, o que não vem a público, na verdade até veio, mas nenhuma medida judicial ou administrativa foi tomada, é que João Dória teria possivelmente comprado os votos dos eleitores internos do PSDB”, afirma o Carlos Magno.

[SOU PSDBISTA, MAS ESSE ANO, MEU VOTO É PRO HADDAD]O título dessa foto de certo chama à atenção, de forma proposital;…

Posted by Carlos Magno on Friday, September 30, 2016

Carlos Magno diz que o PSDB não investigou as suspeitas porque Doria é “afilhado” do Governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

“Conversando com alguns amigos PSDBistas, eu tinha a livre convicção que Andrea Matarazzo (concorrente de João Dória nas prévias do PSDB à candidatura para prefeito de São Paulo) ganharia essa eleição, porém, o resultado que tivemos foi totalmente oposto. Logo após, depois de mais de 25 anos de PSDB, Andrea Matarazzo se desligou do partido após escrever uma carta ao presidente da instituição tucana, e adivinha? Nada foi feito. Algumas provas documentais, registros fotográficos, tudo isso foi enviado ao presidente do PSDB, e nada foi feito. Por que nada foi feito? Essa resposta nunca saberemos, estima-se que, conforme os principais veículos de informação do país, supostamente cada um dos candidatos tenha recebido de 3 a 5 mil reais por voto. Mas a única coisa que podemos afirmar é que, de início pode não haver alguma relação, mas logo após você entenderá, João Dória é afilhado de Geraldo Alckmin.”, afirma Magno.

Após acusar Doria e Alckmin, a publicação de Carlos Magno defende a candidatura de Fernando Hadadd, argumentando que os feitos do petista não são conhecidos porque  ele decidiu não investir em publicidade, mas sim no “desenvolvimento social e econômico” da cidade.

“O verbo ‘procurar’ (informação) não está inserido na rotina e no costume do eleitor paulistano. Fernando Haddad trouxe melhorias extremamente significativas para a educação, saúde e principalmente para o transporte público e segurança pública (não vou entrar no mérito de suas realizações). O fato é que, justamente por ser um prefeito visionário, com razões ideológicas de cunho pró-social, o prefeito teve a ideia de cortar os gastos dos cofres públicos municipais que seriam direcionados a prefeitura para a publicidade de seus feitos, para simplesmente investir no desenvolvimento social e econômico da cidade. Um acerto para a sociedade, mas um erro para sua reeleição (…) Essa é a realidade do eleitor paulistano, preferem estrelas ao invés de representantes.”, afirma o tucano.

Magno também diz que “não faz sentido” julgar um político olhando seu partido e que votará no petista Fernando Haddad.

“Eu não consigo ver coerência nisso, não é o partido que é corrupto, são os candidatos, não é o partido que não representa, são os candidatos (…) Não podemos julgar a representatividade de um candidato apenas por conta de sua filiação partidária, e sim por suas convicções, ideologias e realizações! Algo que Fernando Hadddad, hoje, vem cumprindo com muita eficiência. Por esses motivos iniciais, claro, há muitos outros, meu voto esse ano, certamente será para Fernando Haddad”, conclui o tucano.

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook

Discussion1 comentário