Folha manipulou pesquisa favorável a Temer e nenhum jornal falará sobre isso

1

O problema do oligopólio é que ele se protege: hoje defendo seu interesse, amanhã vocês protege o meu. E a verdade, onde fica?

Opinião – Rafael Bruza

Michel Temer e a notícia do jornal Folha de S. Paulo que induz o leitor a erro / Foto - Reprodução
Michel Temer e a notícia do jornal Folha de S. Paulo que induz o leitor a erro / Foto – Reprodução (Jornal GGN)

Os milhares de sites e blogs da Internet não afetaram apenas o modelo de negócios da imprensa tradicional, ou seja, a forma que os meios de comunicação transformam trabalho em dinheiro. A rede mundial de computadores também é o lugar perfeito para divulgar manipulações, erros e ações interessadas (mas antiéticas) dos meios de comunicação.

Pois bem, o que o jornal Folha de São Paulo fez no domingo (17) pode ser considerado um dos maiores escândalos de manipulação midiática da história do Brasil, tendo em vista a importância das pesquisas eleitorais no jogo político do Impeachment.

O instituto de pesquisa do Grupo Folha, o Datafolha, que também pertence à família Frias, realizou pesquisa divulgada na Folha de S. Paulo indicando que 50% do povo brasileiro quer que Michel Temer fique na Presidência da República Federativa do Brasil até o 2018.

A pesquisa também indica que 32% deseja a volta de Dilma, 9% não soube responder, 4% não quer “nenhum dos dois” , 3% deseja novas eleições e 2% deu “outras respostas”.

O problema aqui é o dado de que 50% da população deseja a manutenção de Temer e 3% dos brasileiros querem novas eleições.

Há três meses, em abril de 2016, o Ibope divulgou pesquisa dizendo que 62% dos brasileiros deseja novas eleições. No mesmo mês, o próprio Datafolha divulgou dados indicando que 58% dos brasileiros desejava o Impeachment de Michel Temer (número próximo dos 61% que queriam impedimento de Dilma).

E neste domingo, a pesquisa manipulada do Datafolha disse que 30% do eleitorado não conhece o presidente interino, Michel Temer.

Então, oras: como 50% do eleitorado pode querer um mandato de Temer até 2018  e só 3% querem novas eleições se há 3 meses mais da metade da população brasileira queria o Impeachment de Temer e mais de 60% da população desejava novas eleições?

Ou Michel Temer fez algo que mudou completamente a opinião dos cidadãos, ou aconteceu algo estranho dentro da elaboração da pesquisa, mas o que?

Simples, amigos: quem elaborou as perguntas do Datafolha foi a própria Folha de S. Paulo, como reconheceu a diretora do instituto, Luciana Schong. E, além disso, a opção de escolher “novas eleições” não foi apresentada aos entrevistados. Eles só puderam escolher entre Dilma e Temer.

Mas o resultado final da pesquisa apresentava a opção das novas eleições ali! E de onde saiu esse dado?

Não podemos responder isso, mas o caso é que a Folha pôde fazer uma manchete enorme gritando que 50% dos brasileiros desejam que Michel Temer fique no poder. E estamos falando de cerca de 100 milhões de pessoas, atenção.

“Mas, Rafael, você não está sendo chato ao dar tanta atenção a esse errinho”? – podem perguntar alguns cidadãos.

Não, meu caro. O Impeachment está aberto! Muitos senadores não decidiram seu voto. E muitos senadores eleitos ainda decidem se votam contra ou a favor o impedimento de Dilma Rousseff usando de base essas pesquisas eleitorais, na intenção de “seguir a voz do povo” que é tão usada por políticos diante das câmeras (e tão ignorada por eles mesmos detrás delas).

Além disso, continuamos sem saber como está a popularidade do presidente interino após dois meses de mandato. O único dado que existe foi distorcido para induzir o leitor a acreditar numa mentira.

Essa manipulação não pode passar batida.

É mentira deslavada, mesmo, que visa enganar a opinião pública e os políticos do Brasil. E foi reproduzida em todo jornal brasileiro que cobre política.

E a questão é: mesmo que a diretora do Datafolha tenha confirmado a “imprecisão” e o “aspecto enganoso” da pesquisa, usando as palavras dela, vocês acham que algum jornal falará que a informação estava errada?

Claro que não!!

Encobrem o erro, protegem Temer e fingem que está tudo bem. Assim, quando a Globo errar, a Folha protege. Quando o Estadão errar, algum ‘bam-bam-bam’ do jornal dos Mesquita pode dizer: Frias, eu te ajudei aquele dia, então me ajude nessa parceiro”, em um possível diálogo.

É só uma ficção e especulação de minha parte, mas o que quero dizer é o seguinte: falar a verdade no jornalismo, para que, se podemos dizer o que nos convém, não é mesmo?

Concluindo, amigos: essa atitude da imprensa é verdadeiramente vergonhosa e deve ser denunciada, inclusive porque foram com manipulações desse tipo que Temer chegou onde está.

E uma recomendação: muito cuidado ao ler informação nos meios de comunicação corporativos, inclusive com pesquisas Datafolha, que respondem diretamente aos interesses do Grupo Folha, não da população brasileira.

Eles enganam, distorcem e mentem sem pudor, mas com muita habilidade retórica e atenção.

O lado bom, como digo no começo do texto, é que temos a Internet. E aqui a verdade será revelada, queiram os grandes meios de comunicação ou não.

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook