Moro deu a Bolsonaro cópia da investigação sobre laranjas do PSL, segundo jornalista

0

O presidente e o ministro da Justiça, Sergio Moro, ainda não se pronunciaram sobre a declaração dada no Japão.

Por Rafael Bruza

O ministro Sergio Moro e o presidente, Jair Bolsonaro / Foto: Roberto Jayme/Ascom/TSE

Em entrevista coletiva no Japão, no dia 28 Jair Bolsonaro disse que o ministro Sergio Moro lhe deu acesso a dados do inquérito sobre as supostas candidaturas de fachada do PSL, segundo o jornalista Rubens Valente, da Folha de S. Paulo.

“Ele (Moro) mandou a cópia do que foi investigado pela Polícia Federal pra mim. Mandei um assessor meu ler porque eu não tive tempo de ler”, disse Bolsonaro.

O presidente ainda não foi questionado sobre a fala – veja abaixo a notícia da Folhana íntegra.

A Polícia Federal funciona de forma autônoma, mas o diretor-geral da corporação é escolhido pela Presidência da República, com influência do Ministério da Justiça, no Governo Federal de ocasião.

Críticas costumam apontar possíveis interferências do Executivo em investigações e operações da PF, deste modo.

Os supostos laranjas

A investigação sobre as supostas candidaturas de fachada do PSL tramita na 26ª Zona Eleitoral de Minas Gerais. O PSL de MG é investigado por supostamente criar candidaturas laranja para desviar verbas do fundo partidário.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro era presidente do partido em Minas no período que as suspeitas foram levantadas. A investigação sugere que a sigla usou quatro candidatas laranjas que disputaram cargos de deputada estadual e federal nas eleições de 2018 para desviar as verbas eleitorais.

assessor especial do ministro foi preso em 27 de junho em operação da PF relacionada com a investigação. Mateus Von Rondon foi detido em Brasília.

Em abril, a deputada federal Alê Silva (PSL-MG) acusou o ministro do Turismo de tê-la ameaçado de morte e também de prometer acabar com sua carreira política. O ministro nega as acusações.

Ao jornal O Estado de São Paulo, ela não apresentou provas das possíveis ameaças e disse que foi informada também por interlocutores que Marcelo Álvaro estaria com “ódio mortal” dela após descobrir que foi a congressista que havia passado as informações sobre candidaturas laranjas ao Ministério Público, por meio de uma associação.

Questionado na última quarta-feira sobre às investigações sobre candidaturas laranjas no partido dele, o PSL, em Minas Gerais, o ministro do Turismo negou que as investigações possam gerar “problemas” a ele.

“Não tenho dúvida que, num breve espaço de tempo, vai ser comprovada a minha lisura à frente do partido no estado de Minas Gerais. Permaneço tranquilo, trabalhando focado na geração de emprego e renda. O turismo é uma importante vertente da economia, e o trabalho continua absolutamente tranquilo, problema nenhum”, comentou.

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook

Leave A Reply