Por que tantos internautas detestaram a campanha Somos Todos Paralímpicos?

0

O Twitter foi à loucura com as fotos, mas, no fundo, a campanha deu certo por atingir milhares de pessoas.

Opinião – Rafael Bruza * com informações do UOL

Na esquerda, a campanha da agência África de publicidade e na direita, a atriz Cleo Pires, o paratleta Renato Leite, o ator Paulo Vilhena e a paratleta Bruna Alexandre / Foto - Reprodução
Na esquerda, a campanha da agência África de publicidade e na direita, a atriz Cleo Pires, o paratleta Renato Leite, o ator Paulo Vilhena e a paratleta Bruna Alexandre / Foto – Reprodução

Nessa quarta-feira (24), a agência de publicidade África publicou na revista Vogue a campanha “Somos Todos Paralímpicos”, que pretende divulgar a Paralimpíada do Rio de Janeiro de 2016, com apoio do Comitê Paralímpico Brasileiro. A ideia é promover a venda de ingressos para os jogos.

A para ilustrar a campanha de marketing, a agência montou uma foto com a atriz Cleo Pires e o ator Paulo Vilhena, que são embaixadores do Comitê Paralímpico.

Ambos aparecem com uma deficiência física na imagem: Cleo sem braço, Paulinho sem perna. Essas deficiências foram inspiradas em dois atletas paraolímpicos: Bruna Alexandre e Renato Leite, que vão disputar competições de tênis de mesa e vôlei sentado, respectivamente.

E esse é justamente o problema: ao invés de tirar fotos com os atletas paralímpicos (que estavam ali) para exaltar sua imagem e importância no contexto do único torneio para pessoas com deficiência que aparece na imprensa mundial, a agência África selecionou dois atores da Globo que aparecem na mídia quase todo dia e inventou deficiências físicas aos mesmos.

A repercussão na Internet foi gigantesca: em pouco mais de 6 horas, internautas fizeram mais de 50 mil tuítes com os termos “Cleo Pires”, “Paulo Vilhena” e “Vogue”.

Todos entraram nos Trending Topics, claro.

Ao UOL, a atriz Cleo Pires disse que esperava a ampla repercussão.

“Sabia que teria porrada quando fosse divulgada. Mas eu não tenho medo de briga, e nem de porrada, podem falar o que quiserem de mim”, afirmou a atriz.

Cleo também defendeu a campanha.

Como vou representar a Bruna se ela não tem um braço? Os atletas adoraram, o Comitê adorou. Me falaram que nunca teve tanta repercussão das paraolimpíadas. As pessoas que estão de fora não enxergam o tamanho disso tudo. Estou muito feliz com a campanha”

Outros internautas concordaram com Cleo Pires e afirmaram que a ideia da campana deu certo, pois o assunto viralizou e essa publicidade negativa, no fundo, serve para promover o evento.

De fato, e apesar da bola fora com os atletas, que tinham a chance de aparecer na mídia durante um evento esportivo que é deles, a campanha Somos Todos Paralímpicos gerou repercussão, que é a intenção de uma campanha de marketing.

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook

Comments are closed.