“Temos que virar a página”, diz Marta Suplicy sobre voto a favor do Impeachment de Dilma

0

(Assista) A declaração foi feita num momento em que Marta se aproxima do PDT, que debate sua eventual candidatura à Prefeitura de São Paulo, em 2020.

Por Rafael Bruza

Nesta segunda-feira (02), a ex-senadora e ex-prefeita de São Paulo, Marta Suplicy, que está sem partido, comentou seu voto a favor do Impeachment de Dilma Rousseff (PT), em 2016 – assista a fala de Marta no minuto 7:00 do vídeo acima. Ela ficou 33 anos no Partido dos Trabalhadores e estava no PMDB, na época do voto.

A declaração foi feita ao Independente no evento Direitos Já, Fórum pela Democracia, que reuniu membros de 16 partidos, incluindo o PSDB, PT e PDT, em oposição ao Governo de Jair Bolsonaro.

“Você tem que se posicionar de acordo com a situação, conjuntura e a informação que dispõe. Naquele momento, esse era o caminho correto. Se a Dilma tivesse ficado, não sei o que teria acontecido. Não sabemos se teríamos evitado Bolsonaro ou não. Votamos com a consciência. O que a consciência mandava fazer naquele momento era aquilo (votar a favor do Impeachment). Agora nós temos que virar a página e unirmos todos porque o mal maior está aí”, disse Marta.

O encontro Direitos Já foi realizado no Teatro da PUC de São Paulo e teve presença de políticos como Ciro Gomes (PDT), Eduardo Suplicy (PT) e Flavio Dino (PCdoB), além de intelectuais, centrais sindicais e apoio de filiados do PSDB.

A ex-prefeita de SP, Marta Suplicy (sem partido) / Foto – (Rafael Bruza/Independente)

Ainda em entrevista, Marta Suplicy disse que o Governo Bolsonaro leva o país a “um retrocesso civilizatório e um perigo para a Democracia”.

“Eu proponho uma frente muito ampla, como jamais tivemos, para fazer frente ao que o Brasil está vivendo neste momento”, disse Marta, ainda em entrevista ao Independente.

No evento, o ex-marido de Marta, Eduardo Suplicy (PT), brincou com o reencontro de ambos em evento público.

“Fazia algum tempo que eu não estava no mesmo ato que a Marta”, disse Suplicy, causando risadas e aplausos no público. “Pela Democracia, pelos Direitos Já. Nossos filhos estão muito contentes, Marta”.

Discursando no palco, a ex-prefeita classificou o evento como algo “histórico”.

“Muitos ficaram anestesiados com tanta barbaridade, mas isso acaba aqui e agora”, disse Marta, gerando aplausos na plateia. “Este movimento mudará o Brasil. É histórico porque defende as mulheres, exigindo respeito, aos índios, aos negros, quilombos, mortos políticos, liberdade de imprensa, academia e instituições”.

Veja o discurso completo, abaixo.

Candidata à prefeita?

Desde o início de agosto, a imprensa informa que Marta Suplicy dá sinais de que pode voltar à vida pública. Ela se aproximou do Partido Democrático Trabalhista (PDT), recentemente.

O partido de Ciro Gomes debate internamente a possibilidade de lançá-la como candidata à Prefeitura de São Paulo, nas eleições municipais de 2020.

Uma fonte ligada ao PDT relatou ao Independente que a ex-prefeita tem apoio de “todo mundo” com poder de decisão dentro do partido para concorrer ao cargo de prefeita.

A eventual filiação, porém, não foi oficializada ou comentada abertamente por líderes pedetistas.

No início do mês, a ex-prefeita também esteve numa palestra feita para mulheres do Solidariedade, onde foi incentivada a entrar na legenda.

As saídas do PT e da vida pública

A então senadora Marta Suplicy se desfiliou do PT em 2015, após 33 anos no partido, fazendo críticas à “corrupção” na sigla e à condução da política econômica no primeiro mandato de Dilma.

Filiados do PT rebateram as declarações de Marta, na época.

A ex-prefeita de SP entrou no PMDB – hoje chamado MDB – quase cinco meses depois da saída do PT.

Ela votou a favor do Impeachment de Dilma Rousseff, sendo partidária do então vice-presidente da República, Michel Temer, que assumiu a Presidência no lugar da petista.

Em março de 2018, após 3 anos no MDB, Marta anunciou que não tentaria a reeleição ao Senado e atuaria na sociedade civil.

Assista ao discurso dela no evento Direitos Já:

Posted by Direitos Já on Monday, September 2, 2019

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook

Comments are closed.